in ,

Piroca grossa rasgando a bucetinha

Eu mal podia acreditar que aquele era o casal com quem conversava há um tempinho pelo whatsapp.

Eu mal podia acreditar que aquele era o casal com quem conversava há um tempinho pelo whatsapp. Sabe como é, nem sempre as fotos correspondem à realidade mas dessa vez, a realidade era muito melhor do que a fotografia. Uma loira muito bonita estava parada à minha frente, usando uma blusa preta que apesar de não ser super decotada, não escondia uma delicada tatuagem entre os peitos dela.

Olhava aquela tatoo e imaginava onde ela terminava, imaginava como seria dar um beijo naqueles peitos lindos, em cada um deles, enquanto minha mão apertava um por um. Será que eram macios? A imaginação ia longe e por vezes eu me descuidava da conversa, que não era ruim, pelo contrário! Tanto ela quanto o marido, um cara bonitão, alto e extremamente simpático, conversavam conosco como se fôssemos velhos amigos nos reencontrando, tamanha a afinidade que já rolava entre nós.

Estávamos no camarote da Hot Bar, pedimos licença e saímos um pouco de perto deles – pra dar aquele tempo do casal conversar e ver se também estão curtindo a gente. Fomos para o mezanino da pista dançar um pouco e olhar o movimento lá embaixo. Não demorou muito lá vem ela, a loira, chegou chegando no meu corpo, passando a mão nele todinho, pegando no meu peito… eu virei pra ela e nos beijamos.

A gente ia se agarrando cada vez mais até que ela sugeriu de irmos pra uma salinha. Putz, leu meus pensamentos! Na boa, nem perguntei se o Marcio queria ir ou não… depois de tantos anos juntos sei direitinho qual o tipo de mulher que ele gosta – e a loira era exatamente o tipo preferido dele!

piroca grossa

Saímos à caça de uma salinha na parte reservada da casa de swing que pudesse abrigar quatro sedentos por sexo e encontramos uma pequena, a menos pior que estava disponível naquele momento: era pegar ou esperar. Pegar! Vai que enquanto a gente espera o tesão baixa? Nem pensar! Ninguém queria perder aquela oportunidade!

Nós quatro entramos numa salinha apertada mas a gente nem ligou pra isso. Nós duas tiramos a roupa e ficamos peladinhas para os meninos abusarem da gente. O Marcio foi tirando a roupa também e a loira linda e maravilhosa caiu de boca no pau dele.

O marido dela também tirou a roupa e eu vi, meninas, eu vi! Eu vi o tamanho da piroca que ia me comer! Uau!! Minha buceta já começou a babar querendo ser fodida por aquela rola grossa, mas antes, eu não resisti: tive que quebrar uma regra minha e chupei o caralho dele. Chupei gostoso imaginando que da mesma forma que aquela rola rasgava a minha boca, em breve iria rasgar a minha bucetinha inteira.

E não deu outra: quando ele colocou a camisinha e enfiou a pica na minha xoxota… que tesão! Eu sentia que nenhum pedacinho meu estava desocupado, aquela piroca me preencheu todinha e me fazia gemer de tanto prazer. Ele socava a rola grossa em mim e eu sentia a minha buceta rasgando, ficando cada vez mais arregaçada com a estocada forte que levava. Eu só queria que o mundo não acabasse antes de gozar porque estava bom demais, quase tudo estava do jeito que eu mais gosto!

Só o calor insuportável não estava bom. Confesso que uma salinha minúscula e apertadíssima não ajudou muito e nós quatro nos cansamos bem mais rápido que o normal. Terminamos nosso encontro na certeza de que nos pegaremos de novo, num lugar mais agradável que nos permita foder um ao outro a noite inteira. Ainda tenho muito o que aproveitar da loira tatuada e da piroca grossa rasgadora de bucetas… Delícia!

Written by Porn Team

Somos o melhor portal para contos eróticos e fatos reais no Brasil.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

Comentários

minha filhinha

Minha filhinha dando pro amante

sexo com manicure

Sexo com a manicure da minha esposa